29.10.11

Ornitorrinco #16


OLHA-LÁ


Que alegria é a melhor herança que deixarei pros meus filhos.
Que terei filhos.
Que picar legumes em pedaços bem pequenos ouvindo música equivale a meio lexotan.
Que banho de banheira não é luxo, é saúde.
Que meu desejo é meu e eu posso escolher (e frequentemente escolho) devotá-lo a uma só pessoa, mas não o darei de presente com laço de fita.
Que eu não quero também receber o desejo de ninguém em embrulho prateado ou caixa enfeitada.
Que sendo assim não há "traição" se um dia, por acaso, alguém jogar o desejo em outro alguém que não aquele, o preferido, o escolhido.
Que é absolutamente libertador que seja assim.
Que biscoito de polvilho com doce de leite é uma combinação dos deuses.
Que a melhor utilidade da secretária eletrônica, em tempos de celular e e-mail, é guardar eternamente a voz das gentes queridas pra gente ouvir quando dá saudade.
Que o amor da minha família, paimãeirmãosavós, é uma rede de proteção com superpoderes.
Que mesmo assim às vezes tem sofrimento - a vida tem partes.
Que talco antes de dormir é o primeiro passo pra uma noite suave.
Que comida antes de dormir é a senha pros piores pesadelos.
Que a verdade do que se sente é fugidia e pode levar um mês pedindo todo dia pra gente conseguir força pra enxergar.
Que tudo que é demais pesa, até o amor, e que dói descobrir isso.
Que o amor é bom até quando pesa, e que alivia descobrir isso.
Que nada, nem dor nem alívio nem medo nem nenhuma parte, me desanimam dele - o amor.
Que eu adoro ser quem sou, e agradeço à vida todo dia por esse presente.


|Maria Rezende

***leia tudinho aqui ó

3 comentários:

Maíra da Fonseca Ramos disse...

Muito boas suas considerações! Se adorar é o primeiro passo para que tudo o mais saia bem, mas o biscoito de polvilho com doce de leite... Sei não!

Adriana Karnal disse...

sabes que gosto dessa leveza na tua poesia? acho difícil escrever assim, qdo a poesia tem tudo pra virar chorumela.

maria rezende disse...

Oi meninas, obrigada pela visita! Maíra, se adorar é fundamental, e dá uma chance pro polvilho com doce de leite depois me conta! ;)
Adriana, leveza é bom demais, né? Na poesia e na vida!
Beijos, Maria