26.4.11

Cinema no corpo





Noite de ensaio caseiro pro mini-espetáculo que eu vou apresentar na Festipoa Literária dia 06 de maio, 6a feira, 20h30, na Sexta Básica do Espaço Ox, anexo lindo do tradicional bar Ocidente.


Sim, os gaúchos serão os primeiros a ver essa maluquice boa que tá nascendo aqui em casa entre gravações caseiras, edições, músicas, papos, novidades e agora projeções mágicas!

.:. ansiedade & medinho & frisson & alegria .:.

25.4.11

24.4.11

Do Ornitorrinco


______________________________________________________________
PELO MENOS
__________________________________________Maria_Rezende*______

É mais que um salão de depilação cheio de filiais pela cidade. É o jogo do contente encapsulado em duas palavras. É o suprassumo do otimismo. É nivelar por baixo. Eu sou a rainha dele. Não tem problema de qualquer ordem que não escave um no fundo de mim. E ele salta pro mundo tão cheio de sol que eu só reparo depois, quando a luz bate naquele ângulo meio cegante nos olhos.
Se fosse possível contar palavras ditas como o word conta as escritas a estatística dos meus "pelo menos" chocaria o mundo. Especialistas de várias áreas viriam de avião a jato em expedições relâmpago. Se otimismo fosse espetáculo eu ganharia o freak show dos domingos de tarde como "a incrível mulher que encontra lado bom em tudo". "Atenção senhores telespectadores, eu disse em tudo e é em tudo mesmo! Você aí da plateia, conte uma notícia ruim e você verá, ao vivo, do que ela é capaz. Você aí de casa, pense numa situação toda errada, vamos desafiar a capacidade dela, quem conseguir deixar essa mulher sem resposta ganha um aparelho de vídeo cassete!".
Mas nem é tão ruim o pelo menos, vai. Pelo menos você não chafurda na lama do desespero. Pelo menos você transforma dor em aprendizado, porrada em tapa, puta merda em poxa vida. Pelo menos você faz do limão uma limonada refrescante, pelo menos assim você não perde esse sorriso e essa alegria, pelo menos…
(Barulho de disco arranhando).
Só que agora eu quero o "e ainda por cima". E ainda por cima ele me ama. E ainda por cima o trabalho é legal. E ainda por cima o dia tá lindo, e os projetos estão virando realidade, e eu tenho uma avó lúcida aos 92. E ainda por cima o peixe tá mais barato, e ainda por cima o cara da feira limpa, e ainda por cima eu sei cozinhar!
O "pelo menos" é embaixo, o "ainda por cima" é mais. O "pelo menos" é só consolo. O "ainda por cima" é o sim ao quadrado, é alegria sobre alegria, é o bom que não cabe num só fato. O "pelo menos" é cesta básica. O "ainda por cima" é camembert, e eu mereço esse luxo.

*Maria Rezende, poeta carioca, publicou o livro Bendita Palavra e colabora pra essa edição.
ORNITORRINCO é uma publicação independente realizada pela fábrica criativa NOMEDACOUSA_BRINQUEDOS&BOMBAS ®.

Se quiser assinar basta enviar um e-mail para nomedacousa@gmail.com com o assunto “OS ALQUIMISTAS ESTAO CHEGANDO"
Aceitamos colaborações pelo mesmo e-mail.



SIM, é isso. Meu amigo Gabriel Pardal edita essa super legal revista virtual, que você recebe diretamente no seu email assinando daquele jeito ali em cima. Eu escrevi, prosa, adorei, upa-lelê. Lê lá!

Coma chocolates, pequena!

Com atraso

21.4.11

Puxa vida, Cildo!

"Tudo é perecível. Mas há uma diferença entre o perecível e o descartável. Somos finitos – isto é ser perecível. Mas não vamos nos suicidar por causa disso – isto seria sermos descartáveis."
(Cildo Meirelles, no doc Cildo)

(da carta da psicanalista Maria Rita Khel pro poeta Armando Freitas Filho no incrível blog do Intituto Moreira Salles que eu acabo de descobrir)

(...)

16.4.11

Festipoa Literária 2011

Confirmadas minhas datas na FestiPoa Literária 2011: chego em Porto Alegre 5 de maio e só volto pro Rio dia 9, segunda-feira cedinho! No miolo desses dias, entre debates e poesia e encontros incríveis, a primeiríssima apresentação do Bendita Palavra - ou melhor, do esqueleto do que daqui a uns meses será esse espetáculo! Ueba!

15.4.11

O espetáculo!

Há um mês atrás o primeiro encontro. Há duas semanas a primeira leitura. Daí veio a segunda incrível diretora. Essa semana três ensaios, um roteiro, mil idéias. Semana que vem ensaio todo dia, propostas, novidades, e um espaço pra gente ocupar com objetos e projeções.

Tanto tiempo levei pra chegar aqui. E não tem aqui. O aqui é o processo, as descobertas cotidianas, as pessoas que eu estou ganhando de presente, com laço vermelho no embrulho e tudo mais.

A vida sabe ser boa. Ah, ela sabe...

9.4.11

Não renunciando (Tony Hoagland)

Eu sempre pensei que ia pegar a Elena
na biblioteca uma tarde, e ela ia me empurrar gentilmente pra trás
pro corredor de 822.7 na Classificação Decimal de Dewey,
e a gente ia transar no beco sem saída do drama do século 18.

Ou eu pensava que a gente ia se encontrar por acaso
numa pousada na costa de Delaware,
e se enroscar num tobogã
de edredons de ganso e chá de camomila.

Quando eu voei sobre as planícies do Wyoming,
eu sonhei em tirar a camisa de cowboy dela
e ver a sua pele pálida num campo de grama varrido pelo vento
que nos manteria completamente fora de vista,

e mesmo no Museu Nacional Britânico
eu caí num transe na frente da maquete
do castelo e do fosso, a ponte levadiça
e a catapulta, com todas aquelas partes móveis.

Essa é a imaginação de um homem.
Ela encolhe e aumenta ao longo da sua vida,
como uma espécie de intumescência. Eu não estou me vangloriando
e estou não estou renunciando.

Eu fiquei de pé em um jardim,
olhando pro outro através da cerca.
Eu pensava que tivesse que mudar a minha vida ou desistir,
mas eu não tinha. Ano após ano

elas foram se misturando:
a sonhada com a real,
a real com a sonhada - os dois jardins

mandando suas vinhas flexíveis e sinuosas,
suas raízes e flores em botão,
incessantemente através das fronteiras.

sabedoriadeondemenosseespera

‎"Fortaleça o seu campo ENERGÉTICO. Só pense no bem. Seja TOLERANTE. Saiba perdoar. Mantenha teu sangue limpo. Não use alimentos que deixem teu sangue ácido. Teu alimento será o teu remédio. Tenha na sua carteira ou bolsa um sapinho KAERU. Incenso: ALMÍSCAR. Pedra: CRISTAL."


‎(tudo isso por apenas R$0,20, em forma de um rolinho minúsculo de papel num pote com a etiqueta "mensagem cigana", na lojinha de velas&macumba em Copa. Não sei o que é sapinho KAERU, mas já comprei o incenso, estou em busca do cristal e seguirei todas as outras recomendações à risca.)

4.4.11

Traduções da madrugada ou Nunca beba café depois das 15h, Maria

O trabalho mais solitário do mundo
(Tony Hoagland)

No momento em que você começa a fazer a pergunta, Quem me ama?,
você tá completamente ferrado, porque
a próxima pergunta é Quanto?,

e aí já se passaram centenas de horas,
e você ainda tá curvado sobre
os seus gráficos e ábaco,

tentando decidir se você teve o suficiente.
Esse é o trabalho mais solitário do mundo:
ser um contador do coração.

É tarde da noite. Você tá sozinho,
e e em volta de você, você pode escutar
os sons das pessoas

se apaixonando e se desapaixonando,
empurrando as catracas, colocando
suas moedas nas frestas,

pagando o preço que é cobrado,
que muda o tempo todo.
Ninguém sabe porque.

Mapa do que não fazer por Tony Hoagland

A situação
(Tony Hoagland, tradução da Maria cheia de café na cuca)

Quando a dor estava fresca,
por um tempo o problema ficou muito claro

e a clareza constituía uma espécie de alívio
como se o problema tivesse se retirado
pra ver o que você ia fazer.

Mas depois de um tempo a clareza começa a se esvair,
e três dias depois você já não seria capaz de articular
precisamente qual era o problema,

e três dias depois disso você esqueceu
que sequer existia um problema,
e o seu velho jeito de pensar voltou.

Você é só um cidadão
da sua própria familiaridade
que não consegue lembrar de si de um jeito diferente.

Você segue e de vez em quando
o caminho pula de debaixo de você.
E você aprendeu a esperar essa agitação,

tanto quanto é possível.
Pode-se dizer que é com uma certa fidelidade
que você continua cometendo os seus erros,

e depois renovando-os,
como se você estivesse seguindo uma placa que diz,

Por Aqui Para o Frescor.

Começou

Começou a brincadeira: tardenoite de encontro luminoso com Ana Kutner, minha diretora e mais nova amiga, plantando a semente do Bendita Palavra, versão teatral da minha poesia.

Idéias, conversas, experiências, troca, parceria.

Tudo o que eu podia querer e mais.

Vai ser lindo e já tá sendo e já é!

1.4.11

O castelo

It is so human to turn a freedom into pain
and it is so sweet when life
comes to teach you suffering

by giving you a choice,
and you twist and turn
in the little flames of possibility.

- But that is how you build your castle.

(trecho de "Jason the Real", do incrível livro de poemas
"Unincorporated persons in the late Honda Dynasty", de Tony Hoagland)

em tradução livre minha:

É tão humano transformar uma liberdade em dor
e é tão doce quando a vida
vem te ensinar sofrimento

te dando uma escolha,
e você roda e gira
nas pequenas chamas da possibilidade.

- Mas é assim que você constrói seu castelo.